sábado, 31 de outubro de 2009

MEU PATO DE ESTIMAÇÃO.


Um pato pode ter sentimentos? Leia o relato e julgue você mesmo.

Ouro Preto. Quanta história conta, nas suas ladeiras centenárias, nos casarões barrocos, nas Igrejas meio assombradas...

Era lá que eu morava quando ganhei um pato de presente. Coloquei-o num espaço telado no quintal de nossa casa. Do alto das escadarias, todos os dias, eu jogava-lhe comida e sempre conversava com ele. Com o tempo, com este contato direto ele emitia sons como se me respondendo enquanto eu conversava com ele e trocava sua água. E quando eu estava ao lado do telado, ele me seguia de um lado pro outro, emitindo estranhos sons.

Um dia, muito curiosa, abri o galinheiro e deixei-o sair. Ele me seguiu e ficou nos meus pés, como uma criança pedindo colo. Mais curiosa ainda, me agachei e para meu espanto e muita emoção, ele subiu no meu colo, e se pôs a me dar bicadinhas no rosto, como se estivesse me beijando. Daquele momento em diante, comecei a lhe dar mais atenção, achando tudo aquilo inacreditável.

Após seis anos em Ouro Preto, retornei a minha cidade, Barbacena. Não iria abandonar meu pato de estimação. Então, como fui morar em apartamento, deixei-o em casa de minha mãe, porque lá ele ficaria bem com inúmeras outras aves e num grande espaço.

Quando eu visitava minha mãe, ele vinha atrás de mim. Então eu brincava com ele, entrava pela porta da cozinha e saía pela porta da sala e ele atrás de mim. Não me deixava e queria ficar comigo.

Mas minha não presença diária foi deixando-o agressivo. Ele começou a correr atrás e bicar todos que chegavam, agindo como um cão bravo. Como minha mãe tinha erisipela na perna e qualquer arranhão acarretava dolorosas sequelas, ela e os meus irmãos estavam muito apreensivos e temerosos. Mesmo mantendo o pato preso, às vezes ele poderia ser solto e sairia mais agressivo.

E é ai, que minha consciência dói. Eu estava passando por problemas seríssimos, correndo risco de perder o emprego por abandono, com quatro crianças, cuidando delas, praticamente sozinha, com problemas de saúde devido ao acúmulo de desafios enfrentados. Fomos criados convivendo com muitos animais, meus pais e familiares sempre os trataram bem. Mas não tínhamos esse entendimento, essa consciência que tenho hoje: os animais são seres sencientes, sentem dor, medo, tristeza, ciúmes, raiva e têm direito à vida tanto quanto nós humanos. E o que eu fiz? Hoje eu percebo que poderia tê-lo doado para alguém que tivesse um sítio. Para alguém que o deixaria viver até que tivesse morte natural. Naquele momento meus problemas pessoais, profissionais e familiares conturbavam minha mente e não havia espaço para nenhum outro sentimento ou reflexão a não ser de minha própria sobrevivência. Eu deixei minha mãe matá-lo para comê-lo.

É assim que agimos, com aqueles quem julgamos inferiores a nós, aprisionamos, matamos, comemos e esquecemos, menosprezando todos os sentimentos que eles nos dedicaram, principalmente o sentimento de fidelidade. Quem de nós não teve um animal de estimação, como um porquinho, um boizinho, um cabritinho, um cãozinho e um gatinho e o abandonou, ou o comeu?

Cada vez avanço mais no entendimento de que todos “nós seres humanos, estamos na natureza para auxiliar o progresso dos animais, na mesma proporção que os anjos estão para nos auxiliar e quem maltrata um animal é alguém que ainda não aprendeu a amar”, nas palavras de Chico Xavier. Cada vez mais sofro com o que não impedi que acontecesse. Agora sou vegetariana. Estou aprendendo que “vida é vida, seja de um gato, cão ou homem. Não há diferença entre um cão e um homem nesse aspecto. A idéia da diferença é uma criação humana para seu próprio proveito” segundo Sri Aurobindo.

Patos felizes: Como são e do que precisam...
“Os patos são animais muito sociáveis e sentem-se muito bem em grupo. Passam os dias juntos procurando comida nas ervas ou na parte mais rasa da água, e dormem em grupo durante a noite. São animais meticulosamente limpos que mantêm os seus ninhos sem lixos nem restos, e gostam de acariciar as penas e exibir as suas lindas plumagens aos potenciais companheiros. Na natureza, a sua esperança média de vida é de 10 anos. São nadadores e voadores excelentes e são capazes de fazer centenas de quilômetros durante as migrações. Tal como os gansos, os patos também voam em “V”. Os patos usam vocalizações e linguagem corporal para comunicarem entre si. Investigadores da Universidade de Middlesex, no Reino Unido, descobriram que os patos têm pronúncias regionais, à semelhança dos humanos. Segundo este estudo, os patos da cidade têm vozes mais altas, enquanto que os do campo têm vozes mais suaves e calmas.” (www.gatoverde.com.br)
Graça Leal

10 comentários:

  1. Graça eu agradeço por compartilhar tua experiencia...Hoje estou procurando informações sobre patos porque estou com um de quatro dias no meu ape.Logo compraremos uma chacará e ele terá mais espaço.Mas por enquanto estou tentando ler o maximo sobre este mais novo membro de minha familia.Teu relato vai ser de grande valia para mim...Tambem tive uma experiencia parecida com um cãozinho,e sofro até hoje por minha decisão.Mas creio que aprendemos todos os dias a sermos melhores e Deus com sua infinita bondade nos dá outras chances de demonstrarmos que nos tornamos melhores apesar do erro e da dor.Amo muito os animais e parei de comer carne a pouco tempo.Me sinto muito bem.Não como nenhuma espéci de animal...nem peixe.Estou preocupada em proporcionar uma vida feliz ao meu patinho...é complicado porque no fundo sei que o lugar dele não é aqui e que acabarei humanizando ele.Fico me perguntando até onde meu amor pelos animais pode se tornar um capricho egoista...Um abraço
    Beth

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Onde você mora estou doando duas fêmeas eles querem mata lA mais e não quero me ajude

      Excluir
  2. olha eu tanbem tenho uma estoria assim
    tudo começou a 4 anos atraz eu me mudeira para uma fazenda chamada fazenda santa alina la nesses 4 anos eu criei amizades com todos os bichos que eu tinha conseguido porcos galinhas gansos caes gatos e principalmente meus amigos um casal de patos
    a pata estava preste a colocar ovos fez seu ninho colocou 10 ovos
    e entrou no periudo de choco
    nesse periudo o pato macho emtrou em depresão
    e morreu pra mim foi o fim do mundo
    depois de 40 dias a pata chocou 8 patinhos
    mas por ser uma pata domestica ou seja criada longe dos pais ela não aprendeu os costumes de patas com filhotes matando 7 deles
    ficou somente um patinho
    um dia fui a cidade ao voutar
    minha csa tinha cido assautada
    por incrivel que pareca
    a pata temtou impedir os ladrão voando neles dando bicadas
    mas foi em vão e esses ladrão sem coração matarão minha pata fique 1 mes fazendo tratamento psicologico pois perder meus amigos meus irmão patos era d + pra mim depois de sair do tratamento
    fique sabendo que minha vizinha tinha salvado o filho de minha pata
    fui imediatamente em sua casa pegalo
    hoje ele esta aqui do meu lado
    ou melhor ela
    é uma linda pata
    que puxou a mae
    e se chama
    doraliçe
    o mesmo nome de sua mamae
    e inclusive estou em busca de um marido para ela
    para ter quem sabe mais uma geração da pata
    doraliçe rodrigues de paula
    POR ISSO MESUS AMIGOS TODOS OS ANOMAIS TEM CENTIMENTOS ELA A MINHA PATA SE SACRIFICOL POR MIM PARA TEMTAR ME SALVAR
    BJUS
    GENTE ME ADD NO MSN QUEM GOSTOU DESSE COMENTARIO
    IGOR_DERODRIGUES2010@HOTMAIL.COM
    E QUEM GOSTA DE ANIMAIS ME ADD TANBEM
    BJUS

    ResponderExcluir
  3. Eu criei deis de pequeno um patinho sozinho ele sempre comeu bem e foi manço de uns tempos para cá ele não que mais colo não come e só fica bravo
    eu não sei o por quê levo ele para nadar todos os dias mas ele não retribui mais esse amor que ele tinha antes não quero que ele morra por isso oq é que eu faço?

    ResponderExcluir
  4. eu uma vez matei meu pintinho sentando nele... ate hj fico triste por que não devia ter comprado ele ... o lugar dele era com a família dele....

    ResponderExcluir
  5. eu comprei um filhote de pato essa semana.
    nunca pensei em ter um.... simplesmente estava passando na frente de uma agropecuria e quando vi me encantei, o dono do lugar tirou ele da gaiola e deu na minha mão... aí foi amor na hora! não tinha como não levar o bichinho comigo! ele é LINDO, um bolinha de pluma amarelinha!

    eu acho que você não deve se lamentar, pois enquanto cuidou dele, cuidou mt bem, por td amor que ele tinha por vc... todo mundo erra na vida... então bola pra frente!

    eu tb sou vegetariana, a quase 4 anos, e tb me arrependo profundamente por todos os anos que passei comendo carne, mas me apego ao pensamento de que mudei! você tb deve pensar que, pelo o triste acontecimento, você tem mais consciência de tudo e aprendeu com td isso.

    um abraço moça!

    ResponderExcluir
  6. Tenho uma triste de patinho para contar. :-(

    Quando fui para Paris (era finzinho de inverno) eu e meu marido estávamos andando num daqueles parques charmosos quando vi um patinho numa fonte. Ele estava nadando lá e demorei para perceber que tinha algo errado naquela história toda.

    "Cadê a mãe?" me perguntei.

    Vi que ele estava sozinho, e não tinha mais nenhum pato por perto. Imaginei quanto tempo fazia que ele estava nadando naquela fonte, no frio (o nível dela deve ter abaixado e ele não conseguia sair dali). Peguei o pobrezinho e enrolei no meu cachecol, sentia ele tremer, e naquela hora eu não sabia o que fazer, tínhamos um dia todo de passeios pela frente, imagine andar com aquele patinho pra cima e pra baixo?

    Pensei em leva-lo ao hotel mas não seria uma boa idéia. :-/

    Então resolvi deixa-lo no chão, perto de um arbusto, (vai que a mãe aparecia né?) mas ele estava tão fraco, que mal conseguia andar. De repente começou a ter umas convulsões e morreu na minha mão. :-(

    Não sei o que eu poderia ter feito por ele, mas aquele patinho ficou na minha memória...

    Ainda temos um video dele quando encontramos - http://www.youtube.com/watch?v=lLldusXQF4M

    ResponderExcluir
  7. essa historia e tao triste.Eu tambem estou querendo um patinho de estimaçao.

    ResponderExcluir
  8. Minha historia é muito parecida com a sua minha pata faz igualzinho, até não gosta da minha mãe kkk. Mas é minha vida jamais vou dar ou matar ela. No dia 05/06/11 eu cheguei de viajem, peguei minha pata com minha cunhada, já era noite, dei carinho bjs e a coloquei na casinha dela. Quando fui a sala ouvi ela me chamar mas como sempre, não dei atenção por saber que ela acalmaria e nos veriamos no dia seguinte. Mas não foi assim minha mãe ao levantar foi ver ela e ela não estava tinha ido me procurar e se perdeu. Coloquei cartaz a procura dela em uma lanchonete foi quando uma nenina viu o cartaz e avisou a sua mãe, por sorte a mulher que estava com minha pata, mora perto e veio perguntar se era a mesma do cartaz. Eu a reconheci de imediato e ela a mim, aos prantos a peguei e dei muitos bjs e abraços e ela me deu beijos no rosto todo e dormiu. Hoje estou com ela novamente, onde vou ela esta minha melhor amiga. E pra quem tem filhote ou quer um saiba que da muito trabalho suja demais porem é recompensador cada segundo com os carinhos deles. Pense bem antes de comprar pra não ter que desfazer depois, pois você pode ficar nervoso com a sujeiras bagunças mas ele sempre vai te amar. Bjs fiquem na paz. E Bjs de Doralice minha pata lindaaaa

    ResponderExcluir
  9. Ficou gostoso o pato? Tem algumas receitas que são muito boas. Eu sugiro o pato ao molho de laranja, fica delicioso (especialmente se você usar mel karo, sabe?). Eu também estava querendo criar um pato, mas em apartamento não vai dar, dizem que dá muito trabalho, e eu não conseguiria matar o bicho depois de me apegar.

    ResponderExcluir